Mais

Recupere a lista de todos os recursos e valores da camada raster (GeoServer e OpenLayers2)


Estou tentando recuperar uma lista de todos os valores de uma camada raster (GeoTIFF) no GeoServer (2.5.x).

Tentei modificar o código de http://trac.osgeo.org/openlayers/wiki/GetFeatureInfo, mas não consigo encontrar uma maneira de fazer isso. Eu crio um controle personalizado que usa oOpenLayers.Handler.Boxcomo entrada. Isso me devolve os limites corretos (coordenadas retangulares selecionadas), mas como faço para enviar os limites para o GeoServer WMS?

Posso codificar um módulo Python para enviar os limites e extrair os valores do raster e enviá-lo de volta ao meu aplicativo da web, mas pensei que isso fosse possível de dentro do OpenLayers.

Alguém tem um exemplo de como extrair um intervalo de valores de um raster usando GeoServer e OpenLayers?

Meu código até agora:

função findLayerClick (evento) {mouseLoc = map.getLonLatFromPixel (event.xy); lista de camadas = 'minha camada'; // GetCoverage var url = sec.getFullRequestString ({REQUEST: "GetFeatureInfo", EXCEPTIONS: "application / vnd.ogc.se_xml", BBOX: map.getExtent (). ToBBOX (), X: event.xy.x, Y : event.xy.y, INFO_FORMAT: 'text / plain', QUERY_LAYERS: layerlist, FEATURE_COUNT: 50, WIDTH: map.size.w, HEIGHT: map.size.h}, "http: // localhost: 8080 / geoserver / wms "); var request = OpenLayers.Request.GET ({url: url, callback: extractFeatures}); } função extractFeatures (e) {console.log (e); }

Meu mapa, camadas e o controle que manipula a caixa selecione:

função init () {wgs84 = new OpenLayers.Projection ('EPSG: 4326'); googleProjection = new OpenLayers.Projection ('EPSG: 900913'); var options = {controls: [new OpenLayers.Control.LayerSwitcher (), new OpenLayers.Control.Navigation ({zoomWheelEnabled: true, handleRightClicks: true}), new OpenLayers.Control.PanZoom (), new OpenLayers.Control.DragPan ( ), new OpenLayers.Control.ScaleLine ({maxWidth: 200})], div: 'map-canvas', theme: null, units: 'm', projection: googleProjection, displayProjection: wgs84, maxResolution: 'auto', eventListeners : {'movestart': function (e) {}, 'zoomend': function (e) {zoomBoxControl.deactivate (); }}}; map = novo OpenLayers.Map (opções); var ghyb = new OpenLayers.Layer.Google ("Google Physical", {type: google.maps.MapTypeId.TERRAIN, minZoomLevel: 1, numZoomLevels: 11, sphericalMercator: true, projection: 'EPSG: 900913'}); // esta é a camada raster sec = new OpenLayers.Layer.WMS ("mylayer", "http: // localhost: 8080 / geoserver / wms", {layers: 'mylayer', formato: 'image / png', transparente : 'true'}, {opacidade: 1.0, visibilidade: true, displayInLayerSwitcher: true, isBaseLayer: false}); OpenLayers.Util.extend (control, {draw: function () {this.drag = new OpenLayers.Handler.Box (control, {"done": this.notice}, {keyMask: OpenLayers.Handler.MOD_CTRL}); isso .drag.activate ();}, aviso: function (bounds) {mybounds = bounds; console.log (mybounds); var lowerLeft = map.getLonLatFromPixel (new OpenLayers.Pixel (mybounds.left, mybounds.bottom)); var upperRight = map.getLonLatFromPixel (new OpenLayers.Pixel (mybounds.right, mybounds.top)); mybounds = new OpenLayers.Bounds (); mybounds.extend (lowerLeft); mybounds.extend (upperRight); // findLayerClick (mybounds) ; return (true);}}); }

OfindLayerClickfunção retorna um valor válido de um pixel clicado, mas eu preciso da lista (tabela, matriz ou qualquer outro) de valores no intervalo selecionado. Espero que alguém possa me ajudar.


Tentei modificar o código de http://trac.osgeo.org/openlayers/wiki/GetFeatureInfo, mas não consigo encontrar uma maneira de fazer isso.

Você não pode usar uma solicitação WMS GetFeatureInfo para recuperar um intervalo de valores, porque ela só funciona em uma localização de ponto (em uma imagem GetMap). Esta é uma limitação da especificação WMS.

Além disso, um WMS não fornece os valores reais de seus dados de entrada (mesmo se for um conjunto de dados raster), ele fornece uma representação dos dados. Se você deseja obter os valores dos dados em um GeoTIFF instalado no GeoServer, você precisará configurar um serviço WCS.


Consultar vários recursos em várias camadas no Openlayers 3

Tenho usado o exemplo mostrado aqui (https://astuntechnology.github.io/osgis-ol3-leaflet/ol3/05-WMS-INFO.html) para tentar e recuperar recursos em uma coordenada de várias camadas TileWMS que defini no meu aplicativo.

Este exemplo foi ajustado para que agora retorne dados em JSONP usando a biblioteca reqwest, mas agora estou tentando descobrir a melhor maneira de adaptar isso para incluir várias camadas e vários recursos.

Estou pensando em usar a função map.forEachLayerAtPixel para recuperar todas as camadas presentes no local de clique do mapa e, em seguida, dentro de instruções if chamam o recurso e adicionam isso a uma variável para construir uma tabela html dinâmica de resultados.

Não sei se essa é a melhor abordagem, mas é a única maneira que consigo pensar em fazê-la para que eu seja capaz de recuperar as informações de uma forma que possa explicá-las especificamente.

Abaixo está o javascript para minha função de clique no mapa, mas não está retornando o pop-up e não exibe nenhum erro.

Não tenho certeza se estou usando a abordagem correta e alguma coisa parece incorreta com a seguinte?


Tipos de camada¶

As camadas podem ser divididas em dois tipos de dados: raster e vetoriais. Esses dois formatos diferem na maneira como armazenam informações espaciais. Tipos de vetor armazenam informações sobre tipos de recursos como caminhos matemáticos - um ponto como uma única coordenada x, y, linhas como uma série de coordenadas x, y e polígonos como uma série de coordenadas x, y que começam e terminam no mesmo lugar. Os dados em formato raster são uma representação baseada em células de feições na superfície terrestre. Cada célula possui um valor distinto e todas as células com o mesmo valor representam um recurso específico.


O GeoServer WFS já pode gerar GeoJSON a partir de fontes de dados de recursos complexos (app-schema). No entanto, a saída pode ser menos do que agradável às vezes, as seguintes melhorias foram feitas:

  • A alternância propriedade / elemento típica do GML é preservada, causando estruturas profundamente aninhadas e de aparência feia. Nem todo mundo adora escrever um acesso & # 8220container.x.x & # 8221 para atingir o valor x, com 2.16.x a saída pula um dos contêineres e expõe uma estrutura direta & # 8220container.x & # 8221
  • Os atributos XML agora são transformados em propriedades JSON simples e prefixados com um & # 8220 @ & # 8221
  • Os tipos de recursos e dados não são mais perdidos nas traduções, preservados por atributos & # 8220 @ feaureType & # 8221 e & # 8220 @ dataType & # 8221
  • Recursos aninhados completos são codificados como GeoJSON novamente, mantendo seus identificadores

Aqui está um exemplo de saída de 2.16.x:


Aqui está uma solução sem usar o buffer. No entanto, ele calcula um mapa de distância separadamente para cada ponto em seu conjunto de dados, por isso pode ser ineficaz se seu conjunto de dados for grande.

Esta é uma solução baseada em raster, primeiro preenchendo os pixels NA com o valor de pixel não NA mais próximo. Observe, entretanto, que isso não leva em consideração a posição de um ponto dentro de um pixel. Em vez disso, ele calcula as distâncias entre os centros dos pixels para determinar o pixel não NA mais próximo.

Primeiro, ele calcula para cada pixel raster de NA a distância e direção para o pixel não NA mais próximo. O próximo passo é calcular as coordenadas desta célula não NA (assume CRS projetado), extrair seu valor e armazenar este valor na localização NA.

Dados iniciais: um raster projetado, com valores idênticos aos da resposta de koekenbakker:

Calcule a distância e direção de todos os pixels NA até o pixel não NA mais próximo:


Parte II: Usando o Model Builder para gerenciar etapas em uma análise espacial

A seguir, queremos ganhar alguma experiência com o ArcGIS Model Builder para diagramar e salvar como um 'modelo' as etapas que acabamos de realizar para desenvolver a superfície de valor de habitação interpolada para o Distrito 1 de Boston (East Boston). Esta parte do exercício não é necessário para os que cursam apenas a primeira metade do semestre (11.523). O prazo é terça-feira, 3 de abril, logo após as férias de primavera.

Configurar

Para criar um novo modelo ModelBuilder, primeiro certifique-se de saber onde o ArcGIS salvará seu modelo. A localização padrão é difícil de encontrar no ArcGIS 10. Existe um arquivo chamado Toolbox.tbs que está localizado no seu armário de rede específico do Windows que aparece como sua unidade H: nesta pasta: H: WinData Meus Documentos ArcGIS Qualquer modelo de construtor de modelo que você construir deve ser salvo neste Toolbox.tbs e você deve usar as ferramentas ArcGIS para salvar e recuperar os modelos. Ter sua caixa de ferramentas pessoal na unidade de rede H: permite que você acesse o mesmo modelo de diferentes estações de trabalho, mas se você quiser compartilhar (ou fazer backup!) Um modelo, é bom saber onde ele está localizado. Você não pode "abrir" ou "salvar" diretamente os modelos do ModelBuilder. No entanto, você pode movê-los usando ArcCatalog - mas você só pode mover arquivos Toolbox.tbs inteiros e não os modelos individuais dentro deles. Vamos deixar nosso Toolbox.tbx na unidade H: por enquanto, pois nossos modelos serão pequenos. Em geral, se você estiver criando modelos específicos para um determinado projeto, considere colocá-los em um diretório próximo aos dados do projeto.

Exercício

Revise os arquivos de ajuda do ArcGIS com relação ao Model Builder e releia as notas do 'Model Builder' na última parte do Laboratório nº 7 da aula introdutória de GIS (11.188), http://web.mit.edu/11.188/www14/labs/lab7/ lab7.html. Em seguida, crie um novo 'modelo' que resulta em um diagrama com as etapas de cálculo da média IDW mostradas abaixo. O exemplo no diagrama mostra Boston Ward 12 em vez de East Boston e jf_holdsales3 em vez de jf_holdsales4, mas as etapas são as mesmas. Ou seja, seu modelo se junta ao holdales4 mesa para ebos_centroids.shp e então usa a operação de distância ponderada inversa (IDW) para interpolar um valor de habitação para cada parcela.

Figura 2. Fluxograma do Sample Model Builder.

Existem várias maneiras de construir o fluxograma, mas você provavelmente achará mais conveniente começar a construir o modelo arrastando e soltando as operações apropriadas do menu Caixa de Ferramentas na janela do fluxograma do construtor de modelo e, em seguida, especificando os dados e parâmetros de entrada apropriados . Não tente se conectar ao Postgres de dentro do Model Builder. 'Adicione' a tabela do Postgres (por exemplo, holdales4) em sua sessão ArcMap da maneira usual (exportando e importando como um csv) e inicie o diagrama Model Builder com a etapa de 'junção' que une holdales4 para o arquivo de forma do centróide do pacote. Além disso, observe que o Model Builder usa as ferramentas de analista espacial no ArcToolbox, que são um pouco diferente daqueles usados ​​acima no menu 'Analista Espacial'. Em particular, você precisará definir as configurações de análise raster desejadas para ArcToolbox clicando com o botão direito do mouse em 'ArcToolbox', escolhendo 'configuração de análise raster' e (mais uma vez) definindo o tamanho da célula de grade e máscara, e escolhendo 'Extensão de processamento "para defina a caixa dentro da qual os cálculos são feitos. Observe que, para as configurações do ArcToolbox, você pode definir as extensões para corresponder às de outra camada apenas se essa camada for uma grade raster (não um shapefile). Além disso, clique com o botão direito do mouse em 'ArcToolbox 'para definir' ambientes 'na janela do ArcToolbox leva você às mesmas configurações de escolher' Geoprocessamento / Ambientes 'nos menus principais do ArcMap.

Ao usar o ArcToolbox, esteja ciente de que, em algumas máquinas WinAthena, você pode obter mensagens de erro indicando erros de 'script' ao tentar definir parâmetros e variáveis ​​de ambiente para itens no fluxograma. Basta clicar em 'sim' para continuar e, eventualmente, você deverá acessar a caixa de diálogo correta. O ArcGIS tem alguns problemas em máquinas WinAthena com a chamada de scripts java para processar arquivos residentes em armários AFS - por exemplo, para abrir os arquivos de ajuda na página apropriada. Você sempre pode abrir os arquivos de ajuda do ArcGIS separadamente em Iniciar / Programas / ArcGIS / ArcGIS-Desktop-Help. cardápio.

Parte III: Trabalho de Laboratório

A maioria das perguntas sugeridas acima são simplesmente para estimular seu pensamento. Apenas alguns itens precisam ser entregues para esta tarefa de laboratório. Eles são baseados na consulta SQL revisada que você usou no Postgres para criar xxx_holdsales4 para as vendas que foram consideradas à distância. (Você pode refazer a interpolação para as execuções hipotecárias - havia muitas em East Boston durante este período! - mas isso não é necessário e produzirá estimativas distorcidas do valor da habitação.). Entregue o seguinte:

Parte I

    1. Sua mapa temático do valor médio da habitação para grupos de blocos de Boston do censo de 1990.
    2. Sua consulta SQL holdales4 para criar a visualização.
    3. UMAimpressão da superfície interpolada(um despejo de tela está bem, mas certifique-se de que seja legível, especialmente se você usar saída em tons de cinza).
    4. UMA breves frases(mais duas ou três capturas de tela) comentando sobre o padrão de valor da habitação que você vê neste mapa final e a extensão (se houver) em que esse padrão parece diferente neste estágio final em comparação com os estágios anteriores que usaram as interpolações menos refinadas, e uma ou duas outras estratégias de análise que você pode levar em consideração para uma ou outra das complicações que ainda não abordamos.

    Parte II

      1. UMA Fluxograma do Model Builder mostrando as etapas envolvidas na criação da superfície interpolada na Figura 2 da Parte II, incluindo a junção da tabela Postgres importada (holdales4) ao 'Atributos de ebos_centroids.shp' tabela e fazendo a interpolação ponderada por distância inversa.

      Página inicial | Syllabus | Palestras | Labs | CRON | MIT
      Criado por Joseph Ferreira
      Modificado: março de 2001-2004 por [thg] e [jinhua] Última modificação: 5 de março de 2018 [jf]


      Exceções¶

      Formatos em que o WMS pode relatar exceções. Os valores suportados para exceções são:

      Saída Xml. (O formato padrão)

      Este é um parâmetro do fornecedor do GeoServer e aplicável apenas para solicitações getMap. Retorna tudo o que foi renderizado no momento em que o processo de renderização lançou uma exceção. Pode ser usado com os Limites de configuração do WMS para retornar uma imagem parcial, mesmo se a solicitação for encerrada por exceder um desses limites. Ele também funciona com o parâmetro de fornecedor de tempo limite.

      Representação Json simples.

      Retorne um JsonP na forma: paddingOutput (… jsonp…). Consulte os parâmetros do fornecedor WMS para alterar o nome do retorno de chamada. Observe que este formato é desabilitado por padrão (consulte Variáveis ​​globais que afetam o WMS).


      GetMap¶

      Solicitação¶

      Um servidor WMS respondendo a um GetMap solicitação retorna uma imagem de mapa para uma área e conteúdo especificados.

      Os parâmetros principais especificam uma ou mais camadas e estilos para aparecer no mapa, uma caixa delimitadora para a extensão do mapa, um sistema de referência espacial de destino e uma largura, altura e formato para a saída. As informações necessárias para especificar valores para parâmetros como camadas, estilos e Sistemas de Referência Espacial (SRS) podem ser obtidas no documento Capacidades.

      A resposta é uma imagem de mapa ou outro artefato de saída de mapa, dependendo do formato solicitado.

      Um exemplo de solicitação GetMap é:

      A solicitação getMap acessa um servidor oferecido pela Terrestris. A solicitação recupera um mapa criado a partir de dados do OpenStreetMap

      O sistema de referência de coordenadas (CRS) é EPSG: 4326, que é o sistema de referência de coordenadas do World Geodetic System 1984 (WGS84). A imagem é retornada em formato PNG transparente com 400 pixels de largura e 300 pixels de altura.

      A tabela abaixo resume os parâmetros e valores disponíveis.

      Parâmetros padrão para a operação GetMap ¶

      Descrição

      Nome do Serviço. O valor é WMS.

      Versão do serviço. O valor é 1.0.0, 1.1.0, 1.1.1, 1.3.

      Nome da Operação. O valor é GetMap.

      Camadas para exibir no mapa. O valor é uma lista separada por vírgulas de nomes de camadas.

      Estilos nos quais as camadas devem ser renderizadas. O valor é uma lista separada por vírgulas de nomes de estilo ou vazio se o estilo padrão for necessário. Os nomes dos estilos podem estar vazios na lista, para usar o estilo de camada padrão.

      Sistema de referência espacial para saída de mapas. O valor está no formato EPSG: nnn. crs é a chave de parâmetro usada no WMS 1.3.0.

      Caixa delimitadora para extensão do mapa. O valor é minx, miny, maxx, maxy em unidades do SRS.

      Largura da saída do mapa, em pixels.

      Altura da saída do mapa, em pixels.

      Formato para a saída do mapa.

      Se o fundo do mapa deve ser transparente. Os valores são verdadeiros ou falsos. O padrão é falso

      Cor de fundo da imagem do mapa. O valor está no formato RRGGBB. O padrão é FFFFFF (branco).

      Formato no qual relatar exceções. O valor padrão é application / vnd.ogc.se_xml.

      Valor de tempo ou intervalo para dados do mapa.

      Um URL que faz referência a um arquivo XML StyledLayerDescriptor que controla ou aprimora as camadas e o estilo do mapa

      Um documento XML StyledLayerDescriptor codificado por URL que controla ou aprimora as camadas e o estilo do mapa

      Outros exemplos de solicitação WMS são os seguintes:

      A solicitação especifica a camada topp: states a ser produzida como uma imagem de mapa PNG no SRS EPGS: 4326 e usando a população de estilo padrão.

      Uma solicitação WMS também pode ser enviada via HTTP POST como um documento XML, da seguinte maneira:

      Resposta¶

      A resposta de uma solicitação GetMap é uma imagem.

      Se a solicitação estiver errada, o servidor retornará uma mensagem de erro.

      O parâmetro TIME permite filtrar um conjunto de dados por fatias temporais, bem como blocos espaciais para renderização. O atributo TIME para solicitações WMS GetMap é descrito na versão 1.3 da especificação WMS.

      Especificando um horário¶

      O formato usado para especificar uma hora no parâmetro WMS TIME é baseado no ISO-8601. A precisão pode variar dependendo do servidor.

      Os horários seguem o formato geral:

      Os valores do dia e intradiário são separados por um T maiúsculo, e a string inteira é sufixada com um Z, indicando UTC para o fuso horário. (A especificação WMS não fornece outros fusos horários.)

      Os servidores WMS aplicarão o valor TIME a todas as camadas ativadas temporariamente no parâmetro LAYERS da solicitação GetMap.

      As camadas sem um componente temporal serão atendidas normalmente, permitindo que os clientes incluam informações de referência, como fronteiras políticas, juntamente com dados temporais.

      Exemplos de valores de tempo para o parâmetro TIME em solicitações GetMap ¶

      12 de dezembro de 2001 às 18h

      Especificando um intervalo absoluto¶

      Um cliente pode solicitar informações em um intervalo contínuo em vez de um único instante, especificando um horário de início e de término, separados por um caractere /.

      Neste cenário, o início e o fim são inclusivo ou seja, as amostras exatamente dos pontos de extremidade do intervalo especificado serão incluídas no bloco renderizado.

      Exemplos de valores de tempo para intervalos absolutos ¶

      O mês de setembro de 2002

      O dia inteiro de 25 de dezembro de 2010

      Especificando um intervalo relativo¶

      Um cliente pode solicitar informações ao longo de um intervalo de tempo relativo em vez de um intervalo de tempo definido, especificando uma hora de início ou de término com uma duração associada, separada por um caractere /.

      Um final do intervalo deve ser um valor de tempo, mas o outro pode ser um valor de duração conforme definido pelo padrão ISO 8601. A palavra-chave especial PRESENT pode ser usada para especificar um horário em relação ao horário atual do servidor.

      Exemplos de valores de tempo para intervalos relativos ¶

      O mês de setembro de 2002

      O dia inteiro de 25 de dezembro de 2010

      Todo o dia anterior a 25 de dezembro de 2010

      36 horas antes do horário atual

      Tempos de precisão reduzidos¶

      A especificação WMS também permite que as especificações de tempo sejam truncadas, omitindo parte da sequência de tempo. Normalmente, os servidores tratarão o tempo como um intervalo cujo comprimento é igual ao unidade mais precisa especificada na string de tempo. Por exemplo, se a especificação de tempo omitir todos os campos, exceto ano, ela identifica um intervalo de um ano começando no início desse ano.

      Exemplos de valores de tempo para tempos de precisão reduzidos ¶

      O mês de setembro de 2002

      O dia de 25 de dezembro de 2010

      Tempos de precisão reduzidos com intervalos¶

      Tempos de precisão reduzidos também são permitidos ao especificar intervalos. Os intervalos são inclusivos. Alguns servidores (por exemplo, GeoServer) expandem efetivamente os horários de início e término conforme descrito acima e, em seguida, incluem quaisquer amostras após o início do intervalo de início e antes do final do intervalo de término.

      Exemplos de valores de tempo para tempos de precisão reduzidos com intervalos ¶

      Os meses de setembro a dezembro de 2002

      12h às 18h, 25 de dezembro de 2010

      Especificando uma lista de horários¶

      Alguns servidores, como o GeoServer, também podem aceitar uma lista de valores de tempo discretos. Isso é útil para alguns aplicativos, como animações, onde um tempo é igual a um quadro.

      Os elementos de uma lista são separados por vírgulas.

      Se a lista for espaçada uniformemente (por exemplo, amostras diárias ou de hora em hora), a lista pode ser especificada como um intervalo, usando uma hora de início, hora de término e período separados por barras.

      Exemplos de lista com valores de tempo ¶

      Notação de intervalo equivalente

      Todos os dias ao meio-dia de 12 a 14 de agosto de 2012

      TIME = 2012-08-12T12: 00: 00.0Z, 2012-08-13T12: 00: 00.0Z, 2012-08-14T12: 00: 00.0Z

      TIME = 2012-08-12T12: 00: 00.0Z / 2012-08-18: T12: 00: 00.0Z / P1D

      Meia-noite de primeiro de setembro, outubro e novembro de 1999

      TIME = 1999-09-01T00: 00: 00.0Z, 1999-10-01T00: 00: 00.0Z, 1999-11-01T00: 00: 00.0Z

      TIME = 1999-09-01T00: 00: 00.0Z / 1999-11-01T00: 00: 00.0Z / P1M

      Especificando uma periodicidade¶

      A periodicidade também é especificada no formato ISO-8601: um P maiúsculo seguido por um ou mais comprimentos de intervalo, cada um consistindo de um número e uma letra que identifica uma unidade de tempo:

      O grupo de valores Ano / Mês / Dia deve ser separado do grupo Horas / Minutos / Segundos por um caractere T. O próprio T pode ser omitido se horas, minutos e segundos forem omitidos. Além disso, os campos que contêm um 0 podem ser totalmente omitidos.

      Valores fracionários são permitidos, mas apenas para o valor mais específico incluído.

      O período deve ser dividido uniformemente no intervalo definido pelos horários de início / término. Portanto, se os horários de início / término denotam 12 horas, um período de 1 hora seria permitido, mas um período de 5 horas não.

      Por exemplo, as várias representações listadas abaixo são todas equivalentes.

      Uma hora: P0Y0M0DT1H0M0S, PT1H0M0S ou PT1H

      90 minutos: P0Y0M0DT1H30M0S, PT1H30M ou P90M

      18 meses: P1Y6M0DT0H0M0S, P1Y6M0D, P0Y18M0DT0H0M0S ou P18M


      Recuperar lista de todos os recursos e valores da camada raster (GeoServer e OpenLayers2) - Sistemas de Informação Geográfica

      O OpenGeoportal foi desenvolvido de forma colaborativa como um aplicativo da web federado de código aberto para descobrir, visualizar e recuperar dados geoespaciais de vários repositórios. Várias das principais universidades e agências estaduais do país formaram uma parceria para disponibilizar milhares de camadas de dados geoespaciais por meio de uma única interface de código aberto. O aplicativo também incorpora algumas novas técnicas de pesquisa inovadoras, incluindo uma pesquisa baseada em extensão que filtra os resultados da pesquisa com base na extensão do mapa atual. A interface única pode ser alterada e pode ter pequenas diferenças na aparência com base na instituição que hospeda o aplicativo.

      Um conjunto de botões exibidos acima do mapa permite alternar ou manipular a visualização atual.

      Voltar Faz o backup para extensões de mapa visualizadas anteriormente

      Avançar Move você pelas extensões de mapa subsequentes

      Zoom na área muda o cursor para um ícone de lupa que, quando clicado, aumenta o zoom para o ponto identificado no mapa. Mantenha pressionado o botão esquerdo para arrastar e desenhar uma caixa sobre a área para ampliar.

      Os botões Aumentar e Diminuir são exibidos para cada mapa, permitindo que você aumente ou diminua o zoom em níveis de zoom específicos. Habilidades de zoom também estão disponíveis clicando duas vezes em um local no mapa. As habilidades de diminuir o zoom estão disponíveis segurando Mudança no teclado enquanto clica duas vezes no mapa.

      A guia de resultados da pesquisa

      Por padrão, sempre que você aumentar, diminuir ou deslocar o mapa, ou se realizar uma pesquisa de texto, a guia de pesquisa no lado esquerdo da tela será preenchida novamente com os resultados da pesquisa representativos da área que você está visualizando. A guia contém várias colunas de informações disponíveis para cada camada: status do carrinho, tipo de dados, nome da camada, originador do conjunto de dados, repositório, informações de metadados da camada e status de visualização.

      Status do carrinho - Identifica se a camada foi adicionada ao carrinho para recuperação.

      Tipo de dados - Significa o tipo de dados contidos representados pela camada. Pontos, linhas, polígonos e rasters são representados.

      Nome da Camada - Mostrar o nome da camada conforme identificado nos metadados da camada.

      Originador do conjunto de dados - A pessoa ou organização que criou o conjunto de dados.

      Repositório - Um ícone que representa a instituição que hospeda o conjunto de dados em seu repositório. Passe o mouse sobre o ícone para mostrar a instituição.

      Informações de metadados da camada - Um botão que abrirá uma janela contendo o registro de metadados completo para a camada.

      Status de visualização - Uma caixa de seleção indicando se a camada foi selecionada para visualização ou não.

      Usando o mapa para pesquisar:

      Usando os controles de navegação do mapa fornecidos, você pode navegar facilmente pelo mapa. Por padrão, o OpenGeoportal preencherá os resultados da pesquisa com base na extensão visível do mapa. Conforme você se move, você pode notar que os resultados serão atualizados automaticamente conforme sua área de visualização muda. Se você usar o cursor do mouse para passar o mouse sobre cada camada disponível listada nos resultados da pesquisa, poderá ver sua extensão visualizada em azul no mapa.

      A pesquisa de texto permite que você digite termos de pesquisa para limitar os resultados da pesquisa. Existem Básico e Busca Avançada opções.

      Para uma pesquisa básica, duas caixas de pesquisa são fornecidas Onde e o que. O Onde permitirá que você digite um local que gostaria de pesquisar enquanto o o que campo permite que você insira palavras-chave que. O OpenGeoportal retornará camadas que possuem metadados que contêm as palavras-chave.

      Por exemplo, se você quiser encontrar dados de solo para o Arizona, deverá inserir Arizona no Onde campo e solos no o que campo. Clicar no botão de pesquisa ou simplesmente pressionar Enter produzirá os resultados relevantes.

      Se as opções de Pesquisa Básica forem muito gerais, use as opções de Pesquisa Avançada para refinar ainda mais sua pesquisa. Para usar a Pesquisa Avançada, basta clicar no Busca Avançada link à direita do botão de pesquisa. Isso exibirá um conjunto diferente de menus que você pode usar para refinar sua pesquisa.

      As opções adicionais (definidas abaixo) permitem definir melhor seus critérios de pesquisa. Você pode especificar qualquer um dos seguintes:

      Onde - Da mesma forma que na opção de pesquisa básica, permite que você especifique um local para os dados que está procurando. Os resultados são preenchidos a partir de um geocodificador OpenStreetMap.

      Palavra (s) -chave - palavras-chave são palavras que servem como critérios, identificando resultados de pesquisa relevantes com base nos metadados do documento.

      Originador - o originador é o escritório ou agência que fornece os dados de origem para o resultado da pesquisa.

      Ignorar extensão do mapa (Onde): - Você pode optar por fazer com que o OpenGeoportal restrinja os resultados da pesquisa para corresponder ao mapa de uma das duas maneiras.

      Se você mantiver o Ignorar extensão do mapa (Onde) marcada, as camadas de resultados da pesquisa correspondem apenas aos recursos que se cruzam com a extensão visível do mapa.

      Se você desmarcar Ignorar extensão do mapa (Onde) , o componente espacial da pesquisa será removido. Os resultados da pesquisa incluirão camadas de diferentes partes do mundo. Apenas a pesquisa de texto terá efeito.

      Tipo de dados - Tipo de dados permite definir o tipo de dados que deseja encontrar, como dados raster, dados vetoriais ou mapas digitalizados.

      Raster - Os dados rasterizados representam uma grade geralmente retangular de pixels ou pontos de cor, visíveis por meio de um monitor, papel ou outro meio de exibição.

      Vetor - O gráfico vetorial formata pontos, linhas e polígonos (formas), todos baseados em equações matemáticas, para representar imagens em computação gráfica.

      Mapas digitalizados - Os mapas digitalizados têm informações do sistema de coordenadas nas margens que podem ser usadas para georreferenciar a imagem sem referência a quaisquer outros dados.

      Intervalo do ano - Permite que você especifique um determinado intervalo de datas para pesquisar. Os anos devem ser inseridos no formato AAAA.

      Tópico - Permite pesquisar dados que incluem informações relacionadas a um determinado assunto ou tema de dados. Clique no menu de tópicos para mostrar a lista de tópicos. Essas categorias de tópicos correspondem às categorias de tópicos do padrão de metadados da International Organization for Standards (ISO 19115).

      Agricultura e Pecuária
      A criação de animais ou cultivo de plantas. Por exemplo, recursos que descrevem irrigação, aquicultura, pastoreio e pragas e doenças que afetam plantações e gado.

      Biologia e Ecologia
      Flora e fauna naturais. Por exemplo, recursos que descrevem a vida selvagem, ciências biológicas, ecologia, vida selvagem, vida marinha, pântanos e habitats.

      Limites Administrativos e Políticos
      Unidades administrativas dentro de países e fronteiras entre países.

      Atmosférico e Climático
      Processos e fenômenos atmosféricos. Por exemplo, recursos que descrevem a cobertura de nuvens, clima, condições atmosféricas, mudanças climáticas e precipitação.

      Negócios e Econômicos
      Atividades econômicas ou emprego. Por exemplo, recursos que descrevem trabalho, receita, comércio, indústria, turismo e ecoturismo, silvicultura, pesca, caça comercial ou de subsistência e exploração e exploração de recursos como minerais, petróleo e gás.

      Elevação e produtos derivados
      Altura acima ou abaixo do nível do mar. Por exemplo, recursos que descrevem altitude, batimetria, modelos digitais de elevação, declive e produtos derivados dessas informações.

      Meio Ambiente e Conservação
      Recursos, proteção e conservação ambientais. Por exemplo, recursos que descrevem poluição, armazenamento e tratamento de resíduos, avaliações de impacto ambiental, riscos ambientais e reservas naturais.

      Geológico e Geofísico
      Ciências da Terra. Por exemplo, recursos que descrevem recursos e processos geofísicos, minerais, a composição, estrutura e origem das rochas da terra, terremotos, atividade vulcânica, deslizamentos de terra, informações de gravidade, solos, permafrost, hidrogeologia e erosão.

      Saúde e doenças humanas
      Serviços de saúde, ecologia humana e segurança. Por exemplo, recursos que descrevem doenças e enfermidades humanas, fatores que afetam a saúde, higiene, saúde mental e física, abuso de substâncias e serviços de saúde.

      Imagens e mapas básicos
      Mapas básicos. Por exemplo, recursos que descrevem a cobertura do solo, mapas topográficos e imagens classificadas e não classificadas.

      Militares
      Bases, estruturas e atividades militares. Por exemplo, recursos que descrevem quartéis, campos de treinamento, transporte militar, etc.

      Recursos Hídricos Internos
      Recursos hídricos interiores, sistemas de drenagem e suas características. Por exemplo, recursos que descrevem rios e geleiras, lagos, planos de uso da água, barragens, correntes, inundações, qualidade da água e cartas hidrográficas.

      Localizações e redes geodésicas
      Informações e serviços de posicionamento. Por exemplo, recursos que descrevem endereços, redes geodésicas, zonas e serviços postais, pontos de controle e nomes de lugares.

      Oceanos e Estuários
      Características e características das massas de água salgada, exceto águas interiores. Por exemplo, recursos que descrevem marés, ondas gigantes, informações costeiras e recifes.

      Cadastral
      Mapas de propriedades. Um cadastro geralmente inclui detalhes da propriedade, posse, localização precisa (alguns incluem coordenadas GPS), as dimensões (e área), os cultivos se forem rurais e o valor de parcelas individuais de terra.

      Cultura, sociedade e demografia
      Características das sociedades e culturas. Por exemplo, recursos que descrevem assentamentos naturais, antropologia, arqueologia, educação, crenças tradicionais, maneiras e costumes, dados demográficos, crime e justiça, áreas e atividades recreativas, avaliações de impacto social e informações do censo.

      Instalações e estrutura
      Construção feita pelo homem. Por exemplo, recursos que descrevem edifícios, museus, igrejas, fábricas, habitações, monumentos e torres.

      Redes de Transporte
      Means and aids for conveying people and goods. For example, resources describing roads, airports and airstrips, shipping routes, tunnels, nautical charts, vehicle or vessel location, aeronautical charts, and railways.

      Utilities and Communication
      Energy, water and waste systems, and communications infrastructure and services. For example, resources describing hydroelectricity, geothermal, solar, and nuclear sources of energy, water purification and distribution, sewage collection and disposal, electricity and gas distribution, data communication, telecommunication, radio, and communication networks.

      Repository - Click the Select Repositories dropdown. Use the checkboxes to include all or a select set of the data available from the contributing data repositories.

      Include Restricted Data - A portion of the data provided by the data sources is protected from public view, and requires the user to login to view or download the restricted data. Generally speaking, individuals from each of the data repositories will have privileges to log in to data from their own institution. By checking this, results might be returned that you would be unable to preview or download through the portal.

      Helpful Hints for Finding Data

      Combine spatial and text searches - For example, zoom in to Tucson, AZ and type "imagery" in the search box for an effective way to search for imagery covering Tucson, AZ. An advantage to this type of search is that imagery layers for Tucson will populate, but not all layers of imagery nor all layers covering Tucson, AZ.

      Use Multiple Terms to Refine Searches - For example, search for land cover to find documents with both the words 'land' and 'cover' somewhere in the metadata, but not necessarily together.

      Capitalization - Searches on OpenGeoportal are not case sensitive e.g. "roads" returns the same results as "Roads".

      Search Tab Preferences

      Elements on the Search tab can be adjusted to suit your preferences. Two buttons appear in the header of the Search tab have the following functions:

      Collapse Left collapses the tabbed area of the interface completely, maximizing the map view. When the left side of the screen is collapsed, the button to expand right displays at the left edge of the screen. Using the expand right button will restore the interface to the default view.

      Expand Right collapses the map area of the interface completely, maximizing the tabbed portion of the interface. When the right side of the screen is collapsed, using the expand left button will restore the interface to the default view.

      Above the map on the right, three buttons are displayed: Save Image, Print, e as Basemap Selector.

      Save Image - The Search Results allow you to save data sets only, so if you want to save a map to view or download, you must click Save Image. All displayed layers be set to your browser for download as a png image file.

      Print - The Print button allows you to print the current map.
      Tip - Consider using a PDF printer to avoid having to download a map, saving the map with a name and location of your choosing.

      Basemap Selector - There are five options for the basemap you can use in OpenGeoportal. When you click on the Basemap button, your options for the basemap appear. The one selected is highlighted in blue.

      Grayscale - A simplified basemap showing roads, jurisdictional boundaries, land and major bodies of water in a grayscale format.

      Streets - A colorful basemap highlighting major and minor roadways and showing topography and public lands.

      Black - A basic basemaps utilizing darker shades of gray to highlight roadways, waterbodies, and topography over a black background.

      Streets/Satellite - A satellite imagery background with jurisdictional boundaries, roadways, and labels overlayed.

      Outdoors - A colorful basebap highlighting natural features, trails, and parks with topo lines depicting elevation contours.

      World Imagery - Satellite Imagery only.

      Once you have generated a list of search results in the search tab on the left side of the screen you have a multitude of options to access metadata information for each dataset layer and to preview that layer on the map.

      If the preview layer checkbox at the far right is selected, the layer will be highlighted in blue and moved to top of the search results and the preview controls will be displayed automatically. The preview controls can be hidden by clicking on the controls toggle at the far left of the layer listing.

      Observação: Multiple layers can be previewed at once. To change the display order of the layers, simply click and drag on the layer listing and drag to the position you would like.

      When a layer has been selected for preview, the preview layer controls will be displayed. For vector data you can control the opacity, line or point size, and layer color. For raster data, only opacity can be modified. To access these controls, simply click on each tool to access its options.

      Additionally, two other buttons are available for each layer.

      • O button will zoom the map to the maximum extent of the layer.
      • In the case of vector layers, the button will allow you to query individual features for metadata content from the attribute table, or, for rasters, the individual pixel value. When this button is selected, the tool becomes interactive with the map. To use it, simply click on a feature of pixel contained within that layer. To turn it off, click the button again, or select navigation button from the map.

      The Cart: Retrieving Datasets

      If you select the Cart tab you'll see any datasets that you have added in your cart listing. Five buttons let you manage and retrieve the contents of your cart: Remove, Download, WebService, Share, e Map it.

      Remove - Allows you to remove items from the cart based on the check boxes at the left size of each layer.

      Download - Used to save selected data and maps to the location of your choice on you computer. When you choose to download items in your cart, you are given options on the format and map extent to include.

      1. File Format - The file format dropdown defines how your selected items will be saved.
        • Shapefile - If any of the datasets in your cart are vector data, you will be given the option to download as in shapefile format. A shapefile is a geospatial vector data format for geographic information systems. A table of records stores attributes for each feature in the shapefile.
        • GeoTIFF - If any of the datasets in your cart are raster data, you will be given the option to download as in the GeoTiff format. A GeoTiff is a geospatial raster data format that stores spatial information within the TIFF file so that it can be used in GIS systems.
        • KML - Keyhole Markup Language (KML) is an XML schema for expressing geographic annotation and visualization within Internet-based, two-dimensional maps and three-dimensional Earth browsers, for example Google Earth, or any other 3D Earth browser. Regardless if the data is vector or raster, you will be given this option because the KML format can store both types of data.
      2. Clip to map extent - Clip to map extent limits the properties/attributes to only those shapes visible in the current area displayed on the map. This is an advised option for raster layers and large data sets.

      Web Service - Create a WFS or WMS to stream layers into an application like ArcMap.

      Share - Provides you with a link that preserves the contents of your cart and map that you can copy and share with others.

      Map it - Opens a dialog that allows you to export the layers in your cart to your GeoCommons account.

      The OpenGeoportal Interface
      Several links are always visible on the Open Geoportal interface. They include four links on a menu bar on the upper right of the site:

      UA Libraries - Links to the University of Arizona Libraries main page.

      Library GIS Guide - Links to the Libraries GIS Libguide page where more resources related to GIS and geospatial data held.

      UserGuide - Launches this guide.

      Contato - Opens a dialog displaying the contact information for the manager of this site.

      Reset - restores the OpenGeoportal to its default state, erasing any previously entered search criteria and emptying your Cart

      Login - Allows you to log into your institution's portal and access restricted data.

      University of Arizona Library and the Tufts UIT Training & Documentation Department
      August 2015


      Lesson 7 assignment: Make your own mashup with a vector layer drawn in the browser

      In this week's assignment, you'll make a mashup consisting of a vector layer drawn by the browser on top of your own tiled basemap. The easiest way to do this is by adapting the walkthrough techniques to your own data. Follow the instructions below to prepare this assignment:

      1. Examine your term project's tiled basemap. This could either be the one you created in the Lesson 5 assignment or a tiled map from OpenStreetMap that you want to use.
      2. Choose or create a vector dataset to overlay on top. This should result in a KML, GeoJSON, or other (with instructor approval) vector data file suitable for direct use on the web. Shapefiles are not to be used in this assignment.

      You can create KML using Google Earth or Google Maps. You can create GeoJSON using QGIS.


      Assista o vídeo: GeoServer. Styling. SLD CSS. (Outubro 2021).